domingo, 28 de outubro de 2012

Resultados: Passatempo "Ibéria - Fernando Pessoa"


Os vencedores do passatempo Ibéria - Fernando Pessoa são:

Luísa Maria Pinheiro Cruz Silva - Travassô
Ana Cláudia Costa - Portimão

Para além de publicados aqui, os resultados serão comunicados aos vencedores por email.

Caso algum dos vencedores não responda ao email de notificação no prazo de uma semana será seleccionado um outro vencedor.

Mais uma vez agradecemos o apoio da BABEL na realização deste passatempo.

Obrigado ainda a todos os participantes.


domingo, 14 de outubro de 2012

Passatempo "Ibéria - Fernando Pessoa"


Tenho para vos propor um passatempo em que podem ganhar 2 exemplares de uma obra de um dos maiores vultos da literatura portuguesa. Nada mais, nada menos que Fernando Pessoa.

Ibéria - Introdução a um imperialismo futuro é mais uma prova de que Fernando Pessoa era uma pessoa muito além do seu tempo, não se limitando a pensar sobre o quotidiano, mas também sobre a assuntos menos prováveis.

Nas novidades deste mês do grupo BABEL pode encontrar-se esta obra sob a chancela da Ática. É portanto para o Conspiração das Letras um enorme prazer proporcionar-vos este passatempo em parceria com o grupo.

As participações são aceites até ao final do dia 21 de Outubro de 2012.

Para poder ser vencedor deste passatempo terá de ser seguidor activo do blogue Conspiração das Letras. Caso ainda não seja, poderá fazê-lo na caixa de "Seguidores da Conspiração" existente na Página Inicial.

As participações estão limitadas a uma por pessoa e, dadas questões relacionadas com o envio do prémio, só aceitamos participações de residentes em Portugal.

Sinopse:

Pessoa não foi alheio a praticamente nenhuma das grandes questões do seu tempo. Uma delas foi a "Questão ibérica", isto é, o futuro político dos dois países e das muitas regiões que constituem a península ibérica, quer através de uma união luso-espanhola, quer através de uma confederação de nações. Esta foi uma questão que ganhou novamente vigência na segunda metade da década de 1910 e na qual Pessoa quis intervir. Uma questão, aliás, afim ao projecto pessoano da «refundação mítica da existência», porque Pessoa queria que se formasse uma Ibéria una e múltipla em que Portugal, depois do aparecimento do Super-Camões (o próprio Pessoa), não perdesse protagonismo cultural. A questão ibérica é também uma questão identitária, e esta é uma questão que, quer no plano individual, quer no plano colectivo, está no centro da estética e da filosofia pessoanas. Mais do que político, o iberismo de Fernando Pessoa foi do tipo cultural e esteve intimamente ligado às ligado às suas preocupações com questões de identidade.


BOA SORTE!


quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Resultados: Passatempo A Arca


Já podemos conhecer a vencedora do Passatempo A Arca.

Está de parabéns:

Ester Silva Almeida - Porto

Para além de publicados aqui, os resultados serão comunicados aos vencedores por email.

Caso algum dos vencedores não responda ao email de notificação no prazo de uma semana será seleccionado um outro vencedor.

Mais uma vez agradecemos o apoio da Civilização Editora na realização deste passatempo.


Obrigado ainda a todos os participantes.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Passatempo A Arca

Agosto significa férias, mas para o Conspiração das Letras significa também o regresso aos passatempos. Temos para vos oferecer, em parceria com a Civilização Editora, a mais recente obra da bestseller Victoria Hislop, intitulada A Arca. 

As participações são aceites até ao final de 30 de Agosto de 2012.

Para poder ser vencedor deste passatempo terá de ser seguidor activo do blogue Conspiração das Letras. Caso ainda não seja, poderá fazê-lo na caixa de "Seguidores da Conspiração" existente na Página Inicial.

As participações estão limitadas a uma por pessoa e, dadas questões relacionadas com o envio do prémio, só aceitamos participações de residentes em Portugal.

Sinopse:
Tessalonica, 1917. No dia em que Dimitri Komninos nasce, um incêndio devastador varre a próspera cidade grega, onde cristãos, judeus e muçulmanos vivem lado a lado. Cinco anos mais tarde, a casa de Katerina Sarafoglou na Ásia Menor é destruída pelo exército turco. No meio do caos, Katerina perde a mãe e embarca para um destino desconhecido na Grécia. Não tarda muito para que a sua vida se entrelace com a de Dimitri e com a história da própria cidade, enquanto guerras, medos e perseguições começam a dividir o seu povo. Tessalonica, 2007. Um jovem anglo-grego ouve a história de vida dos seus avós e, pela primeira vez, apercebe-se de que tem uma decisão a tomar. Durante muitas décadas, os seus avós foram os guardiões das memórias e dos tesouros das pessoas que foram forçadas a abandonar a cidade. Será que está na altura de ele assumir esse papel e fazer daquela cidade a sua casa?

Boa sorte!


quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O Cairo Novo – Naguib Mahfouz

Quando escolhemos uma obra para ler, um autor que já tenha vencido o Prémio Nobel da Literatura pode ser um bom presságio, mas não é condição suficiente para que nos identifiquemos com ele ou para que venhamos a gostar da sua obra.

Naguib Mahfouz por ter sido, até hoje, o único autor de língua árabe galardoado com este prémio, suscitava-me alguma curiosidade. Escolhi “O Cairo Novo” para me introduzir na sua escrita. A escolha não obedeceu a nenhum critério ou aconselhamento, foi feita completamente às escuras. Na verdade, nunca tinha lido nada sobre o autor ou sobre o seu trabalho, por isso estava longe de imaginar se teria êxito nesta escolha. 

Correu bem. Que agradável foi esta viagem ao Cairo dos anos 30. Uma sociedade onde as diferenças sociais são extremamente acentuadas, o que faz com que a classe média seja praticamente inexistente. O país vive uma época difícil marcado por revisões da constituição, no entanto começam a dar-se os primeiros passos de proximidade à cultura europeia. Exemplo disso mesmo é o facto de as mulheres passarem a ter acesso às universidades ou tão somente poderem ir ao cinema. Pequenos passos, mas que numa sociedade tipicamente conservadora atingem proporções muito significativas.

Neste Egipto é difícil para um jovem sem estudos, de família humilde, conseguir um bom emprego. Até mesmo um bacharelato pode ser insuficiente. O sonho é comum, conseguir a licenciatura e garantir um lugar como funcionário público, pois só assim se consegue atingir a estabilidade pretendida. Magoub Abdel Dayim encaixa-se perfeitamente neste perfil.  A custo do sacrifício dos pais, Magoub estuda numa universidade do Cairo. O pouco dinheiro que recebe vai dando para viver e pagar as despesas que tem com os estudos. Os problemas começam quando a apenas quatro meses de terminar a licenciatura, o pai de Magoub adoece e deixa de lhe poder enviar a quantidade de dinheiro habitual.

O dia-a-dia passa a ser difícil. Ter nascido numa família pobre é algo que nunca aceitou e por isso mesmo sente vergonha e repulsa. A consequência é um sentimento profundo de inferioridade perante todos, incluindo os amigos mais chegados: Mamoun Radwan, Ali Taha e Ahmed Bider. Na realidade trata-se de uma pessoa sem princípios morais, que apenas se interessa por si próprio. Assim, vive uma vida de aparências tentando mostrar aquilo que não é.

Apesar das dificuldades, Magoub acaba por conseguir a tão desejada licenciatura, porém os verdadeiros problemas ainda estavam por vir. Cedo se apercebe que apenas consegue arranjar emprego quem tem bons conhecimentos. Magoub não tem esses conhecimentos, resta-lhe apenas entrar num esquema, muito pouco convencional, para obter o seu emprego. É precisamente a partir daqui que me apaixonei por esta obra. Poderia contar do que consta este esquema sem desvendar o final do livro, mas penso que se perderia a magia da descoberta e vale mesmo a pena descobrir.

Recomendo vivamente a leitura deste Cairo Novo. Se, durante a leitura fecharmos os olhos por momentos, parece que somos transportados para uma obra de Fiódor Dostoiévski. A forma como Naguib Mahfouz nos transmite os sentimentos de ódio e repugnância de Magoub por quem o rodeia, incluindo pelos seus pais, faz lembrar um pouco de Raskólnikov.

Em alguns aspetos fez ainda lembrar-me um outro Nobel, Orhan Pamuk. A forma como uma escrita simples pode ser apaixonante é o denominador comum entre ambos.

Penso que não restam dúvidas, mas ainda assim para que fique registado: gostei e recomendo.

Págs. 232
Ref. ISBN: 978-972-26-3062-7
Editora: Civilização Editora

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Caderneta de cromos – Nuno Markl

Já há muitos anos que acompanho o trabalho de Nuno Markl. Sou seu fã desde “O homem que mordeu o cão”, que tantas vezes me acompanhou a caminho da faculdade. Um programa da Rádio Comercial que contava ainda com Ana Lamy e José Carlos Malato.

Passados alguns anos, eis que volta Nuno Markl a fazer-me companhia. Desta vez a caminho do trabalho. O novo programa chama-se “Caderneta de Cromos” e tem o dom de me fazer viajar ao volante do meu automóvel pelas memórias dos anos 80. Uma viagem “dentro” de outra viagem. Para além do próprio Nuno Markl, fazem ainda parte do programa Pedro Ribeiro, Vanda Miranda e Vasco Palmeirim. Quando ouvi o primeiro cromo, em poucos segundos fiquei fã da música de David Fonseca que dá início ao programa. Poucos minutos depois já era fã da caderneta e ao fim alguns dias já era comum chegar ao trabalho e ter os colegas a falar sobre o cromo do dia.

Para quem nunca ouviu na rádio, a Caderneta é um flashback aos anos 80. Desde músicas, filmes, comidas, objetos, tudo o que marcou esta década tem lugar na caderneta. Quem não se lembra das praias portuguesas terem uma bola de Nívea que servia de ponto de encontro? Quem não trauteou o Chico Fininho? Quem não viu o Rambo?

O livro é a transcrição destes programas e garanto-vos é impossível lê-lo sem ter um sorriso atrás da orelha. Cada cromo funciona quase como uma injeção de boa disposição. Por isso mesmo optei por ir lendo um cromo de vez em quando, à semelhança das originais cadernetas em que se iam obtendo os cromos a pouco e pouco.

Nuno Markl é um excelente contador de histórias e nesta temática joga em casa. Sente-se que conhece bem cada um dos cromos e fala deles com carinho e saudade. Este livro faz as delícias de todos os que se encontram entre os 30 e os 40 anos, mas mesmo quem não viveu nos anos oitenta facilmente se apaixona pelas suas histórias.

Vou apenas destacar um cromo, “Videoclubes”, pois acho um excelente exemplo do que o livro tem para oferecer. Assim, aconselho que caso passem numa livraria leiam este cromo. 
 
Págs. 221
Ref. ISBN: 978-989-672-044-5
Editora: Objectiva

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Resultados: Passatempo O Bairro


Há fases em que a nossa vida anda tão agitada, que acabamos por nem ter tempo para fazer-mos algumas das coisas que mais gostamos.
Esta reflexão não é uma desculpa, mas sim um pedido de desculpa pela demora na publicação destes resultados.

Vamos então conhecer o vencedor:

António José Alves - Aveiro

Parabéns!
Para além de publicados aqui, os resultados serão comunicados aos vencedores por email.

Caso algum dos vencedores não responda ao email de notificação no prazo de uma semana será seleccionado um outro vencedor.
Mais uma vez agradecemos o apoio da Oficina do Livro na realização deste passatempo.

Obrigado ainda a todos os participantes.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

O projeto Atena - Brad Thor

Atena é nova divisão de tropas de elite, da Força Delta, com uma característica fora do normal. Todos os seus elementos são do sexo feminino. Segundo Brad Thor, este é o primeiro de vários livros em que o projecto Atena é protagonista.

A equipa Atena é constituída por quatro elementos: Alex Cooper, Megan Rhodes, Gretchen Casey e Julie Ericsson. Quatro personalidades bastante distintas, mas com um enorme espírito de equipa, fundamental para levar as missões a bom porto.

Neste romance a equipa é chamada a acção por causa da uma história antiga. No final da Segunda Guerra Mundial os Estados Unidos desenvolveram a Operação Paperclip, que consistia em reunir o maior número possível de cientistas alemães que trabalharam para os nazis. O objectivo era simples, recolher e absorver os seus conhecimentos e técnicas. 
Um dos cientistas mais brilhantes do Terceiro Reich terá sido o general Hans Kammler. Engeltor, o seu projecto mais promissor. Tratava-se de uma espécie de fax gigante com capacidade de enviar pessoas e objectos para qualquer parte do mundo. Imagine-se uma máquina capaz de enviar uma bomba para o cerne do inimigo e, à sua chegada, a fazer detonar!
Documentos com informações cruciais encontram-se agora em mãos indesejadas e a sua utilização pode ser catastrófica. A primeira missão da equipa Atena será encontrar estes documentos e quem os possui.

Brad Thor possui uma linguagem simples e bastante acessível. O enredo é muito interessante e está de facto bem montado. Penso inclusive que poderia dar uma boa adaptação ao cinema. No entanto, apesar de todos estes pontos a favor, não poderei que fiquei rendido à obra. Este não é definitivamente o tipo de livros que me enche as medidas. O facto ser pouco descritivo faz com que o conhecimento das personagens seja muito superficial. O local da acção também muda constantemente dificultando ainda mais a orientação do leitor.

Em suma, o livro não desagradou nem surpreendeu. Reforço que achei a ideia muito boa. Ainda assim, deverá demorar algum tempo até ler outra vez algo do género.

Págs. 312
Ref. ISBN: 978-972-252-389-9
Editora: Bertrand Editora

terça-feira, 12 de junho de 2012

Passatempo O Bairro

O Bairro é o novo romance de Carlos Ademar! Para celebrar este lançamento, o sexto do autor, temos o enorme prazer de vos oferecer a possibilidade de ganar um exemplar, em parceria com a Oficina do Livro.

As participações são aceites até ao final de 21 de Junho de 2012.

Para poder ser vencedor deste passatempo terá de ser seguidor activo do blogue Conspiração das Letras. Caso ainda não seja, poderá fazê-lo na caixa de "Seguidores da Conspiração" existente na Página Inicial.

As participações estão limitadas a uma por pessoa e, dadas questões relacionadas com o envio do prémio, só aceitamos participações de residentes em Portugal.

Boa sorte!
Sobre o livro:
Manuel Sousa, agente da PSP, é assassinado num bairro às portas de Lisboa. A Polícia Judiciária está a começar a investigação quando é surpreendida pela notícia da morte de mais dois agentes. Quase ao mesmo tempo, um traficante de droga é deixado sem vida no Serviço de Urgência de um hospital. O que têm em comum estes factos? O bairro.
O país fala destes casos, os jornais e as televisões fazem eco das preocupações sociais, a hierarquia policial e a tutela política exigem respostas aos investigadores. O chefe Barata, a pouco tempo de se reformar, encara este caso como o seu derradeiro desafio.
O Bairro, baseado numa história verídica, é o retrato intenso de um mundo onde o crime e a honestidade convivem diariamente, onde prolifera o sentimento de abandono a que foi votado quem ali cresceu, para onde foi viver quem não tinha alternativa e onde é real a coragem de suportar o estigma de um nome. Mais do que um romance, O Bairro é a metáfora de tantos vulcões existentes em redor das grandes cidades contemporâneas, cuja eventual erupção todos temos o dever de evitar.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Memória de elefante - António Lobo Antunes

Tudo o que é bom deve ser saboreado. É esta a minha relação com a obra de António Lobo Antunes, algo que quero ir degustando a pouco e pouco.

Desta vez optei por ir onde tudo começou, ler o primeiro romance do autor. À partida pensei encontrar neste livro um estilo de escrita muito diferente do utilizado nos seus romances mais recentes. Apesar de uma outra nuance em que de facto se nota diferença, não encontrei nada de muito significativo. Na minha opinião, a capacidade de nos fazer sonhar em cada metáfora e de nos permitir viajar entre cada frase estava já bem patente neste livro.

Embora eu não seja um conhecedor profundo da biografia do autor, facilmente percebi, logo nas primeiras páginas, que as semelhanças com a realidade não eram meras coincidências.

Tudo se passa num dia da vida de um médico, um psiquiatra, que se mostra na primeira ou na terceira pessoa. Este psiquiatra vive desiludido com uma angústia que o perturba e restringe. Trabalha, às vezes sem paciência, no mesmo Hospital Miguel Bombarda em que o pai trabalhou e o seu irmão João. Satiriza o sistema de saúde sem se esquecer das meninas da segurança social ou dos delegados de propaganda médica, mas é de si que tem vergonha.

É divorciado e a separação da mulher, como qualquer separação, deixou marcas profundas. As filhas. Um homem afectado por ter participado na guerra em África (não esquecer que este livro foi escrito pouco depois do 25 de Abril), não só por ter ido para guerra, mas também por ter sido obrigado a deixar a mulher para trás, as suas filhas, o seu emprego, a sua vida.

O casino. A sua vida parece-se com um jogo em que se anseia um prémio. Uma caminhada pelas ruas da Lisboa de que fala com carinho, em busca de um refúgio ou de coragem para pegar no telefone e tentar remediar o passado. Mas assumir sentimentos perante os outros não é tarefa fácil. Todos estes pensamentos a borbulhar na cabeça de um homem durante um tão curto espaço de tempo, só mesmo para quem tem Memória de Elefante.

Para mim, a escrita de António Lobo Antunes é pura magia. Assim, não resisto a partilhar duas passagens para deixar um pouco de água na boca a quem tem receio de avançar para este autor:

"e vieram-lhe à memória longas noites na praia desfeita dos lençóis"
"a forma como o corpo dela se abriu em concha para o receber, vibrando tal as folhas do cume dos pinheiros agitados por um vento invisível e tranquilo"

Sublime, não é?
Superior é também a forma subtil e inteligente que o autor tem de nos fazer arrancar um sorriso dos lábios, ainda que a intenção fosse chocar. Que o diga o slogan da Funerária Martelo: Para Que Teima Vossa Excelência Em Viver Se Por Quinhentos Escudos Pode Ter Um Lindo Funeral?

Penso que este poderá ser um excelente livro para quem queira começar a entrar no mundo deste Mestre da literatura nacional contemporânea. 

Termino este pequeno texto com uma expressão muito utilizada por um ilustre são tomense que outrora tive o prazer de conhecer, e que tão bem traduz o que sinto pela obra de Lobo Antunes: Lindo, lindo, lindo.
Quanto mais a conheço, mais me sinto cativado por ela.

Págs. 156
Ref. ISBN: 978-972-202-708-3
Editora: Publicações Dom Quixote

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Vieram como andorinhas - William Maxwell

De vez em quando sabe-me bem chegar à estante de livros e escolher um livro do qual pouco ou nada sei. Apenas porque me apetece!
Vieram como andorinhas foi um desses casos. Já tinha ouvido falar de William Maxwell uma vez ou outra, mas nunca de nenhuma obra em concreto, nem tão pouco de qual o seu género literário.

Nesta obra, Maxwell revela-se um autor de afectos. No seio de uma família burguesa americana, no rescaldo da primeira guerra mundial, o autor transporta-nos para os para os problemas do dia a dia da família Morison, numa fase particularmente difícil em que os americanos se deparam com o flagelo da gripe espanhola que matou milhões de pessoas.

Dividido em três partes, Maxwell começa por colocar o leitor sob os olhos de Bunny, o filho mais novos dos Morison. Bunny é uma criança com oito anos que facilmente se deixa encantar por qualquer objecto desde que esteja na companhia da sua mãe. O amor que tem por ela é interminável e isso faz com que esteja sempre ávido de carinho e atenção.
O irmão mais velho de Bunny, Robert, é o narrador da segunda parte do livro. Robert é um jovem pré-adolescente, vítima de uma infância que lhe deixou marcas profundas pois sofreu um acidente em que ficou com uma perna amputada.
A terceira e última parte da obra é apresentada pelo pai, James Morison.

A mudança de perspectiva que os diversos narradores nos proporciona, faculta uma melhor percepção sobre os pontos de vista de cada uma delas. Aos olhos de Bunny, Robert aparece como um irmão mais velho intolerante, prepotente e com pouco tempo para brincar consigo. Quando passamos para o ponto de vista de Robert percebemos que afinal as coisas não são bem assim e somos levados a compreender os seus motivos e a sua personalidade. A simplicidade com que nos entrosamos com estas personagens sem que sejam feitas descrições exaustivas é talvez o ponto forte de Maxwell nesta obra.

A determinada altura, este livro permitiu-me também fazer uma pequena viagem ao passado quando o pequeno Bunny foi comprar 250gr de manteiga, que nessa altura se vendia avulso. Não que me lembre de ver a manteiga ser vendida assim, mas lembro-me perfeitamente do café, do grão de bico, do feijão frade, da marmelada, etc. Gosto quando os livros me permitem viajar sem sair do sofá e, de certa forma foi o que aconteceu. Terei feito companhia às andorinhas?

Págs. 128
Ref. ISBN: 978-972-0-07142-2
Editora: Sextante Editora

Resultados: Passatempo O circo dos sonhos


Terminou há alguns dias o Passatempo O circo dos sonhos.
Está agora na hora de conhecer o vencedor:

Jorge Augusto Carneiro - Paços de Ferreira

Parabéns!
Para além de publicados aqui, os resultados serão comunicados aos vencedores por email.
 

Caso algum dos vencedores não responda ao email de notificação no prazo de uma semana será seleccionado um outro vencedor.
 
Mais uma vez agradecemos o apoio da Civilização na realização deste passatempo.

Obrigado ainda a todos os participantes.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Os Pilares da Terra (Vol. II) - Ken Follett

Se gostei do primeiro volume, que dizer do segundo? A magia permanece e se querem realmente saber, penso que melhora.

Para mim, o ponto forte de Ken Follett é sem dúvida a qualidade da caracterização das personagens. Ao longo da história vai-se percebendo um claro domínio do autor nos intérpretes, fazendo com que o leitor se apaixone ou deteste cada um deles.

Neste segundo volume, fica-se ainda com a impressão de  que tudo se passa a um ritmo ainda mais rápido. A trama é muito bem orquestrada com frequentes alterações de cenário, que nos levam a não querer deixar o livro sozinho por muito tempo.

À medida que a catedral se aproxima em direcção, muitos são os obstáculos que vão surgindo. A determinada altura penso que a história peca um pouco pela demora no desenrolar do enredo, porém este pensamento pode muito bem ser provocado pela enorme vontade de saber o que se vai passar.

Todos estes ingredientes, quando juntos só podem dar origem a uma obra gourmet, com capacidade de em determinadas alturas fazer os olhos brilhar. Uma vez que o final também não desilude por ser completamente imprevisível, não há hipótese de não gostar.

Por último, queria referir que tenho visto que muitos leitores optam por ler os dois volumes deixando entre ambos um enorme espaçamento temporal. Não recomendo a um futuro leitor que siga essa metodologia. Não esqueçamos que estamos perante uma única história dividida em dois volumes impossíveis de separar.

Págs. 600
Ref. ISBN: 978-972-23-3819-6
Editora: Editorial Presença

Passatempo O circo dos sonhos

O poder da imaginação parece ser o ponto forte da obra O circo dos dos sonhos de Erin Morgenstern. Sugestivo não acham?

Durante esta semana, poderão tentar ganhar o exemplar que temos para oferecer em parceria com a Civilização Editora. Serão consideradas válidas participações feitas até ao final do dia 29 de Abril de 2012.

As participações estão limitadas a uma por pessoa e, dadas questões relacionadas com o envio do prémio, só aceitamos participações de residentes em Portugal.

 Boa sorte!


SINOPSE:
Um romance de magia e amor que está a encantar os leitores de todo o mundo através do fantástico poder da imaginação.
Um misterioso circo itinerante chega sem aviso e sem ser precedido por anúncios ou publicidade. Um dia, simplesmente aparece. No interior das tendas de lona às listas pretas e brancas vive-se uma experiência absolutamente única e avassaladora. Chama-se Le Cirque des Rêves (O Circo dos Sonhos) e só está aberto à noite.
Mas nos bastidores vive-se uma competição feroz – um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, que foram treinados desde crianças exclusivamente para este fim pelos seus caprichosos mestres. Sem o saberem, este é um jogo onde apenas um pode sobreviver, e o circo não é mais do que o palco de uma incrível batalha de imaginação e determinação. Apesar de tudo, e sem o conseguirem evitar, Celia e Marco mergulham de cabeça no amor – um amor profundo e mágico que faz as luzes tremerem e a divisão aquecer sempre que se aproximam um do outro.
Amor verdadeiro ou não, o jogo tem de continuar e o destino de todos os envolvidos, desde os extraordinários artistas do circo até aos seus mentores, está em causa, assente num equilíbrio tão instável quanto o dos corajosos acrobatas lá no alto.
Escrito numa prosa rica e sedutora, este romance arrebatador é uma dádiva para os sentidos e para o coração. O Circo dos Sonhos é uma obra fascinante que fará com que o mundo real pareça mágico, e o mundo mágico, real.

Conheça o booktrailer:




domingo, 15 de abril de 2012

Resultados: Passatempo Anjo de Cristal



Desta vez, os resultados demoraram um pouco mais a ser publicados, mas não é por isso que o livro 
"Anjo de Cristal", da jovem promessa Beatriz Lima, fica por oferecer.

A vencedora é:

Catherine Maia Gonçalves - Santo Tirso

Parabéns!

Para além de publicados aqui, os resultados serão comunicados aos vencedores por email.

Caso algum dos vencedores não responda ao email de notificação no prazo de uma semana será seleccionado um outro vencedor.
 
Mais uma vez agradecemos o apoio da Alphabetum na realização deste passatempo.

Obrigado ainda a todos os participantes.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Novidades Bertrand Editora: " A Imperfeição do Presépio - António Manuel Marques"

 A Imperfeição do Presépio - António Manuel Marques

A história do Portugal do século XX, contada através da vida de uma família rural, que se muda para Lisboa, e das dificuldades sentidas nessa época.


Sinopse:
«O casamento. Do meu casamento não tenho grande coisa a dizer. De outra maneira, mas era uma noiva, pois claro. Qual branco? Lá não era assim. Éramos simples, não tínhamos direito a essas coisas que há hoje. Os vestidos a arrojar pelo chão, esse carnaval todo. Nem eu me via metida nessas andanças. Naquele tempo, era tudo simples.»
Assim começa a narrativa de vida de uma mulher vulgar, mas única, guiando-nos pela pequena História portuguesa do século XX, através das memórias coletivas acerca do interior rural e da migração para uma capital que, aos poucos, alargou os seus limites para espaços menos urbanizados, como o bairro de Benfica.
Do discurso intimista e reflexivo da protagonista, constrói-se um olhar feminino sobre os universos conjugal, familiar e do trabalho, recorrendo também a publicações da época e, sobretudo, aos saberes de figuras reais com quem se cruzou.

Sobre o autor:

António Manuel Marques nasceu em Lisboa em 1961.
É docente do ensino superior e tem investigado e publicado nos domínios da sexualidade, saúde e psicologia social do género.
Ao dar início à escrita literária, continua a explorar os temas em que tem investido, fazendo uso da liberdade estilística e narrativa que a ordem académica não aconselha ou não permite.

Género: Ficção Literária
Formato: 15 x 23,5 cm
N.º de páginas: 128
Data de lançamento: 23 de março
PVP: 12,00 €

Novidades Livros d'Hoje: Juliana "Condensa de Stroganoff" - José Norton

Juliana "Condensa de Stroganoff" - José Norton

A vida da portuguesa mais influente da Europa no século XIX.

Sinopse:
Forçada a exilar-se em 1808, Juliana de Almeida Oeynhausen, a terceira filha da marquesa de Alorna, parecia condenada às agruras da emigração e à tristeza de um casamento infeliz. Contudo, dotada de um espírito vivo e inconformista, conseguiu libertar-se de constrangimentos sociais e familiares, vencer a adversidade e conquistar a sua independência e felicidade.
As suas qualidades de mulher ilustrada e cosmopolita, foram conhecidas e apreciadas por grandes figuras da Europa de então com quem teve a oportunidade de privar: a rainha Vitória de Inglaterra, o imperador da Alemanha, e os czares Nicolau i e Alexandre ii da Rússia. A surpreendente e colorida história da sua vida, que uma investigação profunda e exaustiva permitiu trazer agora a público, foi esquecida e deturpada nos alvores do século xx e, desde então, a sua memória tem sido injustamente enxovalhada. Porém, como disse um diplomata português seu contemporâneo «não se pode fazer mais honra do que ela fez sempre ao nome português». Deixou abundantes provas disso mesmo em São Petersburgo, na Rússia, onde viveu os últimos anos da sua vida, como condessa Stroganoff.

Sobre o autor:
José Norton, nascido em 1944, é licenciado em Economia. Manteve a par da sua actividade profissional um profundo interesse pela Arqueologia e a História de Portugal, tendo assinado diversos trabalhos em revistas dessa especialidade e no suplemento cultural do semanário Expresso, entre 2005 e 2008. Colaborou ainda com o Centro de Estudos Interdisciplinares do
Século XX, da Universidade de Coimbra. Publicou as biografias de Norton de Matos e Pina Manique, as Memórias Políticas do Marquês de Alorna (ensaio), O Milionário de Lisboa (Livros d’Hoje, 2009) e O Último Távora (Livros d’Hoje, 2007), que acaba de ser também publicado na Rússia.

Editora: Livros d’Hoje 
N.º Páginas: 440+12
Preço: 15,50 €
ISBN: 978-972-20-4794-4
1ª Edição: Abril de 2011

Passatempo Anjo de Cristal

Este passatempo marca o início de uma nova pareceria com uma editora. Desta feita, trata-se da Alphabetum, uma editora ainda jovem que promete marcar pela diferença.

Um exemplar da obra de Beatriz Lima intitulada "Anjo de Cristal" é o que temos para oferecer. Serão consideradas válidas participações feitas até ao final do dia 8 de Abril de 2012.

As participações estão limitadas a uma por pessoa e, dadas questões relacionadas com o envio do prémio, só aceitamos participações de residentes em Portugal.

Boa sorte!

Sinopse:
Devastada com a partida do seu amado para a guerra, Anne Marie tenta “sobreviver” à sua partida. Novos amigos enchem a vida de Anne Marie, mas nada substitui o vazio da ausência de Peter. Por entre aventuras, romance e recomeços, Anne enfrenta a dor.
Mas quando uma carta anuncia a morte de um soldado – na qual o nome não é perceptível – Anne tem duas opções: esquecer o amor da sua vida e seguir em frente, ou ir para a guerra, numa réstia de esperança.
Anjo de Cristal retrata a esperança, o amor, a coragem, tudo envolto num livro carregado de dor e sofrimento.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Resultados: Passatempo O Romancista Ingénuo e o Sentimental


Pois bem, está chegada a hora de revelar quem vai receber um exemplar da obra do Sr. Prémio Nóbel Orhan Pamuk. 

A vencedora deste passatempo é:

Norma Gondar Pita - Chaves

Parabéns!

Para além de publicados aqui, os resultados serão comunicados aos vencedores por email.

Caso algum dos vencedores não responda ao email de notificação no prazo de uma semana será seleccionado um outro vencedor.
Mais uma vez agradecemos o apoio da Editorial Presença na realização deste passatempo.

Obrigado ainda a todos os participantes.

sábado, 31 de março de 2012

Novidades Casa das Letras: A Demanda de D. Fuas Bragatela - Paulo Moreiras

A Demanda de D. Fuas Bragatela - Paulo Moreiras

Nascido em Trancoso no dia em que D. Dinis dava os últimos suspiros, D. Fuas Bragatela estava destinado a ser alfaiate, mas nele outros sonhos fervilhavam. Saiu, por isso, de casa muito novo, serviu a vários amos (com quem nada aprendeu senão os rigores da vida) e, depois de muitas peripécias, acabou a combater na batalha do Salado, donde não trouxe honra nem glória, apenas uma fome dos diabos. Arribou seguidamente a Salamanca, fazendo-se passar por licenciado em Medicina, e regressou à pátria com o cheiro da peste colado às narinas. Mas foi então que descobriu a demanda da sua vida: um dos maiores tesouros da Cristandade...

Primeira edição na Casa das Letras.
Nas livrarias a 7 de Abril.

Novidades Teorema: O Intrínseco de Manolo - João Rebecho Pais

O Intrínseco de Manolo - João Rebecho Pais


Na aldeia alentejana de Cousa Vã — vizinha da espanhola Ciudad del Sol — o nome de Manolo anda nas bocas escancaradas dos que passam as tardes na tasca a aviar minis, quiçá para que ninguém repare no que realmente se passa em suas casas — e talvez seja melhor assim. É, porém, facto indesmentível que Maria tem o hábito de desaparecer às sextas-feiras — e isso basta para que a mediocridade omnipresente faça do marido um adornado e da chacota um estranho alívio para a dureza dos dias.
Com um trabalho notável na composição das figuras e uma recuperação inteligente da linguagem popular de um Alentejo quase mítico, João Rebocho Pais estreia-se na ficção com um romance terno, mágico e, ocasionalmente, escatológico sobre o poder da excepção sobre a regra.
Nas Livrarias a 28 de Abril.

Novidades Dom Quxote: Lançamentos em Abril

Nada está escrito - Manuel Alegre

Manuel Alegre volta, neste novo livro, a confrontar a sua poesia com as grandes questões: o sentido da vida e as incertezas, interrogações e angústias deste nosso tempo. Uma poesia, nas palavras de Frederico Lourenço, que “não esconde o sofrimento e a dor da existência humana, mas que nunca aceita a resignação ou o pessimismo”. Um novo poema de Manuel Alegre, diz Lourenço, ”afigura-se-nos sempre como um fenómeno incrível de originalidade. 
Nas livrarias a 7 de Abril.



 O Tempo Envelhece Depressa - Antonio Tabbuchi

Todas as personagens deste livro parecem estar empenhadas numa confrontação com o Tempo: o tempo dos acontecimentos que viveram ou estão a viver e o tempo da memória ou da consciência. Mas é como se uma tempestade de areia se tivesse levantado nas suas clepsidras: o tempo foge e detém-se, gira sobre si próprio, esconde-se, reaparece a pedir contas.
Sensível às convulsões da História recente, Antonio Tabucchi mede-se com o nosso Tempo «desnorteado», em que os ponteiros do relógio da nossa consciência parecem indicar uma hora diferente daquela que vivemos.
Nas livrarias a 7 de Abril.


 Caligrafia dos  Sonhos - Juan Marsé

Em meados dos anos quarenta, Ringo é um rapazinho de quinze anos que passa as horas mortas no bar da senhora Paquita, movendo os dedos sobre a mesa, como se praticasse as lições de piano que a família já não lhe pode pagar. Nessa taberna do bairro de Gracia, o miúdo é testemunha da história de amor de Vicky Mir e do senhor Alonso: ela, uma mulher entrada em anos e abundante de carnes, massagista de profissão, ingénua e apaixonadiça; ele, um cinquentão garboso que acabou por se instalar em sua casa. Ali vivem, junto de Violeta, a filha da senhora Mir, até que sucede algo inesperado: um domingo à tarde, Vicky deita-se nas linhas mortas de um elétrico tentando um suicídio impossível e patético, e o senhor Alonso desaparece para não voltar. 

Prefácio de António Lobo Antunes.
Nas livrarias a 21 de Abril.


 Um Espião Perfeito - John le Carré

«Magnus Pym», explicou um dia John le Carré, «é o arquétipo do agente duplo que existe em cada um de nós.» E é bem provável que esta seja, de facto, a chave para a compreensão de Um Espião Perfeito, unanimemente reconhecido pela crítica como a mais importante e a mais autobiográfica das obras do autor.
Publicado em 1986, Um Espião Perfeito rapidamente foi aclamado como um livro superior e tornou-se um imenso sucesso em todos os países onde foi editado.
Nas livrarias a 14 de Abril.





O Testamento Final da Bíblia Sagrada - James Frey

O que faria se descobrisse que o Messias estava vivo? A viver em Nova Iorque. Se o encontrasse acreditaria n’Ele?
James Frey não é como os outros escritores. Já foi chamado de mentiroso, vigarista, burlão. Já foi chamado de salvador, revolucionário, génio. Devido às suas polémicas, já foi processado por leitores, abandonado por editoras, repreendido na televisão e condenado pelos media. Já foi forçado a exilar-se e a esconder-se. Mas ele é também um autêntico fenómeno editorial, publicado em trinta e nove línguas e adorado pelos seus leitores. E o que assusta verdadeiramente as pessoas é o facto de ele brincar com a verdade; essa linha ténue entre facto e ficção.
Esta é a sua obra mais controversa e será adaptada ao cinema.
Nas livrarias a 21 de Abril.


As Três Vidas - João Tordo

Passando pelo Alentejo, por Lisboa e por Nova Iorque em plenos anos oitenta – época de todas as ganâncias – e cruzando a história sangrenta do século xx com a das personagens, As Três Vidas é, simultaneamente, uma viagem de autodescoberta através do «outro» e a história da paixão do narrador por Camila, a neta mais velha de Millhouse Pascal, e do destino secreto que a aguarda; que estará, tal como o do avô, inexoravelmente ligado à sorte de um mundo que ameaça, a qualquer momento, resvalar da corda bamba em que se sustém.
Primeira Edição na D. Quixote.
Nas Livrarias a 14 de Abril.


Novidades Porto Editora: O outro amor da vida dele - Dorothy Koomson

O outro amor da vida dele - Dorothy Koomson

Sinopse:
Está a viver o amor com que sempre sonhou?
Libby tem uma vida perfeita com um marido maravilhoso e uma casa enorme em frente à praia. Mas, aos poucos, começa a duvidar do amor de Jack e não acredita que ele tenha realmente superado a morte da primeira mulher, Eve.
Quando o destino interfere na relação de ambos, Libby sente necessidade de conhecer melhor o homem com quem se casou e a aparentemente perfeita Eve.
A jovem esposa descobre algumas verdades assustadoras sobre aquela família. Com receio das consequências, Libby começa a desconfiar que também ela terá o destino da primeira mulher que Jack amou…
Pode um novo amor apagar uma grande paixão?

Sobre a autora:
Dorothy Koomson é autora de sete romances, incluindo A filha da minha melhor amiga (no original, My Best Friend’s Girl), Pedaços de ternura (Marshmallows for Breakfast) e Bons sonhos, meu amor (Goodnight Beautiful), todos eles bestsellers já publicados em Portugal pela Porto Editora. O seu sexto romance, Um erro inocente (The Ice Cream Girls), alcançou o número dois nas tabelas dos livros mais vendidos e recebeu uma nomeação para os Galaxy National Book Awards de 2010.
A escritora vive na costa sul de Inglaterra, onde provavelmente se encontra encerrada no seu torreão a congeminar um novo romance.
Descubra mais em: www.dorothykoomson.co.uk

FICÇÃO 26/03/2012
Títulos: O outro amor da vida dele
Coleção: Dorothy Koomson
Tradução: Irene Ramalho
Págs: 448
Capa: mole com badanas
PVP: 16,60 €

Novidades Sextante Editora: A investigação - Philippe Claudel

A investigação - Philippe Claudel

Vencedor de prémios como o Goncourt e o Renaudot, Philippe Claudel vai integrar o catálogo da Sextante Editora a partir do dia 3 de abril, momento em que chega às livrarias A investigação.
Inspirado na vaga de suicídios ocorrida na France Telecom em 2009, o Investigador deste romance procura desvendar as causas que levaram os funcionários de uma grande empresa a porem fim à sua vida. Segundo François Busnel (L’Express), «Claudel mostra até que ponto a ficção consegue apreender a realidade».

Sobre o livro:
«Não é olhando que descobrirás.» Como pôde o Investigador adivinhar? Como pôde saber que esta investigação de rotina seria a última da sua vida?
Encarregado de descobrir as causas de uma onda de suicídios numa grande empresa, o Investigador sucumbe gradualmente à ansiedade. O hotel onde se instala é abrigo não só de turistas, como de gente deslocada e estranha. Na empresa onde investiga, ninguém o apoia e o clima é hostil. Terá caído numa armadilha, será vítima de um pesadelo demasiado real? Não consegue comer, beber ou dormir, e as suas perguntas só dão origem a mais perguntas. À medida que faz algumas descobertas, interroga-se se não se tornará ele na nova presa a ser esmagada por aquela máquina infernal. E começa a compreender a nossa impotência face a um mundo que nós próprios construímos e que conduz à nossa destruição.

Sobre o autor:
Philippe Claudel é o autor do bestseller Almas cinzentas, vencedor do Prémio Renaudot 2003, do Grande Prémio literário Elle 2004 e classificado como Livro do Ano pela revista Lire em 2003. Está traduzido em mais de 30 países. Em 2007, o seu romance O relatório de Brodeck foi galardoado com o Prémio Goncourt des lycéens. Realizou o filme Il y a longtemps que je t’aime, com Elsa Zylberstein e Kristin Scott Thomas, em 2008, vencedor de dois prémios César.

FICÇÃO 28/03/2012
Título: A investigação
Autor: Philippe Claudel
Tradução: Isabel St. Aubyn
Págs.: 144
PVP: € 15,50

Novidades Porto Editora: Guitarra para ToTós

Guitarra para ToTós

Fazer os vários acordes ou ler uma tablatura nunca foi tão fácil A Porto Editora acaba de publicar mais um volume da famosa coleção Para Totós (For Dummies, na versão original): Guitarra para Totós, um guia prático, que ensina todas as técnicas fundamentais. Os autores são os prestigiados Mark Phillips, diretor de música da Cherry Lane Music, e Jon Chappell, guitarrista. Entre outras coisas, Guitarra Para Totós ensina a preparar, afinar e manter o instrumento em bom estado, a utilizar as melhores técnicas, usando vários acordes e diferentes efeitos (como hammer-ons, bends, pull-offs e slides) e a tocar estilos variados (clássico, jazz, blues, rock…). Transmite ainda um pouco de história, dando a conhecer as principais guitarras e os melhores guitarristas de todos os tempos. Este livro inclui um CD áudio gratuito com 97 faixas de apoio aos exercícios e uma faixa com notas de afinação para ajudar a afinar a guitarra.

Sobre a colecção:
A coleção Para Totós caracteriza-se por um método de aprendizagem simples e divertido, bem como pelo carácter essencialmente prático, que não poupa no que toca a dar dicas e referências úteis.
Desde 1991, já se publicaram, em todo o mundo, mais de 1800 títulos e imprimiram-se mais de 250 milhões de livros. Estes números fazem da coleção For Dummies a mais reconhecida e reputada série de referência à escala mundial, traduzida para mais de 30 línguas.
A coleção Para Totós, da Porto Editora, conta já com 18 títulos, em áreas distintas do saber, como a informática e a tecnologia, os negócios, as línguas e agora a música, com este Guitarra Para Totós.

Título: Guitarra Para Totós
Autores: Mark Phillips, Jon Chappell
Coleção: Para Totós
Págs.: 400
Capa: mole
PVP: 22,00 €

sexta-feira, 30 de março de 2012

Resultados: Passatempo A Senhora da Magia


As Brumas de Avalon é um livro que contínua a despertar interesse.
Prova disso mesmo foi a excelente participação que o passatempo teve.

Desta vez estão de parabéns:

1- Isalina Patrícia Varela Tavares - Mem Martins
2- Alzira Maria da Silva Carneiro - Porto

Parabéns às vencedoras!

Para além de publicados aqui, os resultados serão comunicados aos vencedores por email.

Caso algum dos vencedores não responda ao email de notificação no prazo de uma semana será seleccionado um outro vencedor.
 
Mais uma vez agradecemos o apoio da Saída de Emergência na realização deste passatempo.

Obrigado ainda a todos os participantes.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Passatempo O Romancista Ingénuo e o Sentimental

Orhan Pamuk foi Prémio Nobel da Literatura em 2006 e por isso mesmo está dispensado de qualquer apresentação. Ainda assim, não resisto a dizer que se trata de um dos meus escritores de eleição da actualidade.

"O Romancista Ingénuo e o Sentimental" é a mais recente obra de Orhan Pamuk que a Editorial Presença trouxe até nós. Trata-se de um ensaio sobre o processo de criação literária e artística.

Sinopse:
Orhan Pamuk inspirou-se no ensaio de Schiller Sobre a Poesia Ingénua e a Sentimental  como tema para abordar múltiplas questões ligadas ao romance. Em O Romancista Ingénuo e o Sentimental, obra subtil e pessoal, Orhan Pamuk fascina-nos com a liberdade com que se move entre a cultura oriental e a ocidental ao falar-nos da sua própria experiência como autor e leitor dos romancistas que o apaixonaram e influenciaram, expondo as misteriosas ligações entre autor e leitor.

É um exemplar desta obra que temos para vos oferecer, com o apoio da Presença. Serão consideradas válidas participações feitas até ao final do dia 1 de Abril de 2012.

As participações estão limitadas a uma por pessoa e, dadas questões relacionadas com o envio do prémio, só aceitamos participações de residentes em Portugal.
Boa sorte!

terça-feira, 20 de março de 2012

Novidades Alphabetum: À procura de um lugar - Fátima Marinho

À procura de um lugar - Fátima Marinho

Amanhã é DIA MUNDIAL DA TRISSOMIA 21

VICENTE PROCURA UM LUGAR NO DIA MUNDIAL DA TRISSOMIA 21

“À Procura de um Lugar” é um livro de Fátima Marinho, cujo protagonista é um menino com trissomia 21. “Sometimes, I feel like Superman”, diz Vicente

Parte das receitas do livro reverte para a
Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21


“O nascimento do Vicente transformou tudo e todos à sua volta. (…) Tinha trissomia 21. O dia do seu nascimento foi o acto inaugural de mil desafios, mas também o início de vidas maiores que se escondiam no conforto e na previsibilidade dos dias. Às vezes a felicidade veste-se de breu só para que o sol brilhe mais quando rompe a alva”. E assim começa não só a vida do protagonista, e, simultaneamente, narrador e ilustrador deste conto, como também o livro “À Procura de um Lugar”, da Alphabetum Edições Literárias. A obra baseia-se na realidade da  autora, Fátima Marinho, tia de um menino com trissomia 21 – uma deficiência genética que afeta, segundo se estima, um em cada 800 a 1.000 recém-nascidos, e que se recorda na terça-feira, 21 de março, Dia Mundial da Trissomia 21.


Parte das receitas do livro reverte para a Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21 (APPT21). Aliás, é o diretor clínico da instituição, Miguel Palha, que assina o prefácio, onde salienta: "A revelação, aos pais, de que o bebé tem estigmas de uma doença grave, deve ser feita pelo pediatra, em ambiente de estrita privacidade, e só após se ter estabelecido um bom vínculo afectivo entre os pais e o filho, por forma a reduzirem-se as possibilidades de rejeição... Muitos desses sentimentos inaugurais aparecem expressos em 'À Procura de um Lugar', que é também um convite à entrada no mundo da compreensão do que, à partida, surge como incompreensível. As crianças diferentes desafiam tudo, até a ternura."

"À Procura de um Lugar"foi a primeira obra de ficção de Fátima Marinho que, recentemente, lançou o seu terceiro livro, também pela Alphabetum Edições Literárias. Conta a história de Vicente, um menino com Trissomia 21, que transforma as vidas de todos os que o rodeiam.

Conhecem a trilogia "A Irmandade"?

A trilogia "A Irmandade" é uma edição da Civilização Editora da obra de maior relevo de Robyn Young. Este best seller que relata a história de Will Campbell, que atingiu maioridade entre conspiração, paixão, intrigas políticas e guerra.

Volume 1 - A Irmandade

Criado no seio da poderosa Ordem dos Templários, Will enfrenta um longo e sofrido período de aprendizagem às ordens do temperamental padre Everard, antes de conseguir tornar-se cavaleiro. Enquanto luta para sobreviver à rígida disciplina do Templo, Will tem de tentar perceber várias incógnitas: o seu próprio passado, o perigoso mistério que rodeia Everard e os sentimentos confusos que lhe desperta Elwen, a decidida jovem cujo caminho parece estar sempre a cruzar-se com o seu. Entretanto uma nova estrela se levanta no Oriente. O antigo escravo Baibars, um guerreiro impiedoso e um brilhante estratega, tornou-se um dos maiores generais e governantes do seu tempo. Perseguido pela sua vida passada, Baibars é conduzido por um desejo inabalável de libertar o seu povo dos invasores europeus. As duas histórias vão cruzar-se durante o extraordinário choque de civilizações a que no Ocidente se deu o nome de Cruzadas. O cavaleiro cristão enfrentará o guerreiro muçulmano numa luta que reflecte a ganância, a ambição e o fanatismo religioso que os move mas também a coragem, o amor e a fé.
ISBN  972-26-2460-1
EAN  9789722624602
495 páginas
Preço: 19,08 €


Volume 2 - A cruzada

Depois de no livro A Irmandade, Will Campbell ter atingido a maioridade entre conspiração, paixão e intriga, e após anos de derramamento de sangue, a Irmandade ajudou a estabelecer uma trégua entre Cristãos e Muçulmanos. Mas, Will teme agora que tenham sido traídos. O rei Edward de Inglaterra prometeu ao papa que lideraria uma nova Cruzada, enquanto no próprio Acre um conluio implacável de mercadores ocidentais, que especula em escravos e armamento, conspira para reacender as hostilidades na Terra Santa. Entretanto, no Egipto, o sultão Baibars é apanhado numa luta de poderes. À medida que a guerra toma forma, Will fica dividido entre o seu juramento como templário, o seu papel secreto na Irmandade e o seu dever para com Elwen, a amada com quem está proibido de casar. Will fica aprisionado no seio de uma devastadora teia de desilusão e destruição quando ele e os que o rodeiam se precipitam num dos mais dramáticos momentos da história. 

ISBN  9789722626255
EAN  9789722626255
524 páginas
Preço: 16,15 € 


Volume 3 - Requiem

Corre o ano de 1295, O império cristão na Terra Santa está em ruínas. De regresso a Paris, o cavaleiro templário Will Campbell está numa encruzilhada. Jurou ser fiel aos princípios da Anima Templi, uma irmandade secreta dentro da Ordem dos Templários, cujo objectivo é a paz – mas a paz parece cada vez mais impossível de alcançar. A Ordem forjou uma aliança com o inimigo de Will, o rei Eduardo da Inglaterra, comprometendo-se a financiar a guerra com a Escócia. Este pacto contra a sua terra natal abala profundamente a fé e a submissão de Will, levando-o até a descurar a sua relação com a filha. Rose, que acaba por se envolver numa relação perigosa. Will enfrenta agora uma escolha amarga: ficar com o Templo e lutar noutra guerra em que não acredita ou quebrar os votos e empreender a sua própria campanha pela paz. mesmo que isso signifique também lutar – pelos Escoceses. Apanhado no meio de um conflito sangrento, Will nem se apercebe da terrível ameaça que se prepara – no trono de França reina um monarca guerreiro cujo desejo de poder não conhece limites e que não se deterá perante nada para alcançar a sua desmesurada ambição.
ISBN  9789722624664
EAN  9789722624664
482 páginas
Preço: 17,15 €
 
Sobre a autora:
Robyn Young nasceu em Oxford, em 1975, e cresceu nas Midlands e no Devon. Desde cedo começou a escrever poesia, histórias e artigos para jornais que lhe valeram vários prémios de escrita. Trabalhou como organizadora de festivais, promotora musical, conselheira de investimentos e professora de escrita criativa. Tem um Mestrado em escrita criativa, feito na Universidade de Sussex e vive em Brighton. Aos 25 anos começou a escrever o seu primeiro romance: A Irmandade, que foi bestseller logo na semana do lançamento.

Novidades Porto Editora: Furacão - Laurent Gaudé

Furacão - Laurent Gaudé

Após A Porta dos Infernos, publicado em 2009, Laurent Gaudé regressa ao catálogo da Porto Editora com Furacão, um romance surpreendente e muito elogiado pela crítica que chega às livrarias no dia 29 de março.

Sobre o livro:
No coração da tempestade que devastou Nova Orleães, uma dezena de personagens enfrenta a fúria dos elementos, mas também a sua própria escuridão interior. Que resta ao ser humano quando as suas referências morais e sociais desaparecem por entre o caos e o medo de um cenário apocalíptico? Com Furacão, Laurent Gaudé oferece-nos uma espécie de ópera em que os solos das personagens se unem num amplo coro que nos transmite o grito da cidade abandonada à sua sorte. A gravidade da tragédia funde-se com a serenidade da fábula, para exaltar a fidelidade, a fraternidade, a comovente beleza dos que, apesar de tudo, permanecem de pé.
Primeiras páginas: AQUI

Sobre o autor:
Laurent Gaudé nasceu em Paris em 1972. Dramaturgo e romancista, obteve em 2004 o Prémio Goncourt com o romance O Sol dos Scorta. Publicado em 34 países, tem também traduzidos em Portugal os seus livros A Morte do Rei Tsongor (2002), Eldorado (2006) e Noite Dentro, Moçambique (2007), além de A Porta dos Infernos (2008), já publicado pela Porto Editora.

Título: Furacão
Autor: Laurent Gaudé
Tradutor: Isabel St. Aubyn
Págs: 160
PVP: 15,50 €

sábado, 17 de março de 2012

Passatempo A Senhora da Magia

As Brumas de Avalon regressa ao mercado português para dar a conhecer a uma nova geração esta história mágica e intemporal centrada nas mulheres que, por detrás do trono de Camelot, foram as verdadeiras detentoras do poder.

Morgaine é ainda uma criança quando testemunha a ascensão de Uther Pendragon ao trono de Camelot. Uther deseja Igraine, a mãe de Morgaine, presa a um casamento infeliz com Gorlois. Mas há forças maiores que estão em curso e que se preparam para mudar as suas vidas para sempre. Através da sua sacerdotisa Viviane, Avalon conspira para unir Uther a Igraine e dessa aliança nascerá Arthur, a criança que salvará as Ilhas.
Morgaine, dotada com a Visão, é levada por Viviane para Avalon onde irá receber treino como sacerdotisa da Deusa Mãe. É então que assiste ao despertar das tensões entre o velho mundo pagão e a nova religião cristã. O que Morgaine desconhece é que o destino irá armar-lhe uma cilada e pô-la, de novo, no caminho do meio-irmão Arthur da forma que menos espera…

Foi esta a receita para uma história de sucesso. É por isso com muito orgulho que, em parceria com a Saída de Emergência, temos para oferecer 2 exemplares desta obra. 

Serão consideradas válidas participações feitas até ao final do dia 25 de Março de 2012. 

Para responder às perguntas propostas, sugiro que leiam o excerto do livro disponível AQUI.
As participações estão limitadas a uma por pessoa e, dadas questões relacionadas com o envio do prémio, só aceitamos participações de residentes em Portugal.

Boa sorte!

Resultados: Passatempo Um erro inconfessável


Está na hora de conhecer os vencedores do passatempo "Um erro inconfessável" que decorreu com o apoio da Planeta.

Desta feita, os vencedores são do norte do país:

1 - Cátia Cristina Ferreira Carvalho - Guimarães
2 - Arnaldo António Teixeira de Oliveira Santos - Santo Tirso

Para além de publicados aqui, os resultados serão comunicados aos vencedores por email.

Caso algum dos vencedores não responda ao email de notificação no prazo de uma semana será seleccionado um outro vencedor.
 
Mais uma vez agradecemos o apoio da Planeta na realização deste passatempo.

Obrigado ainda a todos os participantes.